segunda-feira, 20 de abril de 2015

Anatomia Poética (Entre-Vista entre-Versos): Regina Azevedo #4


Versos inspiradores exalados direto da cidade de Natal, essa é a Regina Azevedo poetisa que tive o prazer de conhecer graças a indicação do Caio Carmacho (último entrevistado no mês de Março).

O que te inspira? É amor em sua Essência mais pura?
Amor, saudade, cenários diferentes, coisas do cotidiano...


E como é o processo criativo, tem uma formula? E se tiver, me ensina?
Não. Não tem. Vem o impulso de uma ideia, eu escrevo de vez e depois vou editando, lapidando, até ficar como eu ache legal. Nesse processo de edição, eu sempre vou lendo o poema em voz alta, porque também me preocupo muito com a sonoridade e o ritmo do meu texto.

Como funcionam suas oficinas de poesia?
São oficinas de produção. Ensino exercícios interessantes. Não tem nada de teoria. É criação. Fazemos poemas com colagens, poemas coletivos, ''dúbios'', moldamos textos, matérias de jornal...

Como é a cena poética em Natal?
Tímida, mas está crescendo. Muita gente nova começando agora e tal...

E quais são os seus poetas/escritores favoritos?
Essa pergunta é sempre muito interessante porque meus poetas preferidos são, em sua maioria, meus amigos. E isso é uma grande sorte minha, porque meus poetas preferidos são o Chacal, o Caio Carmacho, Bruno Brum, Carina Castro... Também gosto muito do Whitman e Bukowski, mudando de cenário. Leminski também, claro, pra sempre.

Escrever paga suas contas ou pelo menos ajuda?
Não. Vender livro, fazer oficina e participar de evento literário ajuda.


Qual foi o melhor momento de sua carreira?
Esse agora.

E qual foi o melhor momento como pessoa?
Isso é bem pessoal meu, mas eu sempre gosto de me sentir na ativa. O melhor momento é quando consigo escrever, estudar e fazer exercício físico. Risos.

Se alguém xerocar “Por issoeu amo em azul intenso”, e passar adiante, isso iria te incomodar?
Não ficaria. Eu não ganho muita grana com isso e provavelmente ninguém ganharia também. Risos. Acho bonito o livro que anda, adoro receber notícias de gente que leu meus poemas e mandou pra alguém, ou emprestou meu livro, etc.

Se você morresse hoje o que faria amanha?
Seria devorada lentamente, hahahahhahahahah

Fale um pouco dos projetos futuros?  Tem algo em mente?
To com uma oficina marcada pro dia 25.  Vou dar um tempo em publicações minhas. Dedicar agora um tempo pra vender e divulgar meus livros.


Indique um Sarau temos que conhecer:
Iapois, Poesia! O sarau mais lindo de Natal.


Indique um poeta, que precisamos entrevistar:
  
Deixe um recado para seus fãs... e não minta pra mim dizendo que não tem  ;)
Isso é só o começo, amigos

um outro recado para os que não gostam do seu trabalho...
Isso é só o começo, amigos

... e um para os que ainda não conhecem o seu trabalho ...
Dá pra ler tudo no www.reginazvdo.tumblr.com




Deixei um poema seu para os leitores desse blog:

as linhas
na pele da minha avó
são de quem carregou
13 mulheres na barriga - e morreram
maria, jacinta e marli
porque naquele tempo a pessoa morria
por tudo, tinha até aquela história
de sal grosso, chá de erva cidreira e banho
no açude, mas algumas coisas
nunca mudam, nem mesmo
com dona maria que rezava na gente
agitando seus galhos, espalhando
o cheiro do jasmin que a gente tinha
na vitrine de casa
portanto não faz sentido algum
entregar uma rosa a alguém
que já tem raízes tão profundas


Você me deu muitas respostas, tem alguma pergunta pra me dar?
Por que entrevistar poetas?

E por que não!?!?!? São meus melhores amigos, é o que respiro desde os 13 anos, espero montar um breve panorama poético e de alguma forma diminuir as fronteiras entre os estados e assim criar pontes entre pessoas plurais que tenham a mesma paixão pelos versos e estrofes.


Um comentário:

  1. Embriagado e sóbrio com as Poesias de Regina Azevedo. Maravilhoso!!!!

    ResponderExcluir

COMENTA QUE EU GOSTO